segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Oposição

Olá amigos de plantão!
Hoje pela manhã, em sala de aula, conversávamos sobre a questão de muitos daqueles políticos que anos atrás, ainda na ditadura (e também no militarismo), empunhavam bandeira de franca e clara oposição ao governo. Muitos destes hoje fazem parte da base governista!
Assim, por exemplo, destacamos a figura bastante comentada no momento, a Chefe da Casa Civil, Ministra Dilma Rousseff que em tal período passado, era militante, foi presa e submetida a tortura.
Como é interessante observarmos a relação de pessoas que como ela lutaram e sofreram por um ideal.
Ideal este que transbordava um simples sonho pessoal, mas que se estendia para todos ao redor.
Vale lembrar que se hoje podemos viver a democracia, sendo possível até mesmo escrever poucas palavras em um Blog como este, devemos isto, a esta e a outras pessoas que levaram até às últimas consequencias este ideal.
Contudo, como bem escreveu Lord Acton, "o Poder corrompe e o poder absoluto corrompe absolutamente".
Nada tão apropriado.
Como é possível aceitarmos pessoas que lutaram pela a democracia, visando a liberdade, a igualdade, hoje são suspeitas de escandalos que se encontram na contra mão do que se entende por democracia?
Nos causa surpresa, estarrecimento quando verificamos alguém que no passado tenha lutado por um ideal e que agora nos envergonha por conta de atitudes completamente absurdas.
De fato acredito que o poder nos corrompe e somente uma alma muito virtuosa consegue manter-se pura diante de tais tentações.
Ora, nos salta então o seguinte raciocínio: sempre precisaremos de oposição; sempre precisaremos de gente que tenha um ideal e leve-o até às últimas consequencias.
Ontem o que era oposição, hoje nada mais é do que governo. E cadê a oposição?
Acredito que no Brasil estejamos vivendo uma crise no que tage a sua estrutura democrática, porque o que é hoje oposição, não sabe ser oposição; e o que antes era oposição, hoje não sabe ser governo. Contestar por contestar é melhor não contestar. Uma crítica sempre deve vir acompanhada de uma sugestão. E as vezes percebemos isso: uma necessidade de quetionar sem se ter um porquê.
Precisamos crescer e verificar que estas pessoas no passado contribuiram tanto para o presente, mas que hoje precisam de pessoas que verdadeiramente lhes funcione como oposição, que lhes mostre o outro lado dos fatos, que lhes questione, critique, mas que saibam proteger a sociedade, o povo, os cidadãos. Opor-se sem que haja um ideal a defender, e que este não seja benefício próprio, não será ideal e muito menos oposição.
O que queremos para nós no futuro temos que plantar hoje. Por isso se queremos uma "democracia mais democrática", precisamos ser democráticos hoje, lembrando sempre que Democracia Representativa (indireta) não se traduz somente em outros decidirem por mim.
Amplexos
Professor Luis Fernando.

6 comentários:

Terezinha Pinheiro disse...

Olá,professor! Concordo, especialmente em grau, com Lord Acton ... "o Poder corrompe e o poder absoluto corrompe absolutamente".

Sociologia e o mundo disse...

De fato, meu amigo... esse "troca-troca" politiqueiro, na verdade nada mais é do que um reflexo da nossa sociedade contemporânea. Uma sociedade que não tem mais ideologias (já profetizava Cazuza: "Ideologia, eu quero uma pra viver"), descompromissada.
Tomemos um exemplo: os movimentos sindicais antigamente tinham um ideal de mudança do país muito explícito nos discursos e nas "causas" abraçadas. Pois bem! Eu pergunto: quais os ideais dos sindicatos atuais???
São SINDICATOS DE RESULTADOS...
Eu perguntava a um aluno meu do ensino fundamental, qual era a função das greves, ao que ele me respondeu (e com muita razão): "aumentar o salário de um grupo". É uma luta individualista e pragmática... cada um por si e Deus por si também.
Isso resulta num descaso profundo com o outro.
Tanto é verdade que hoje podemos perceber não só o descaso político do poder público com o povo, como também o descaso com a participação política do próprio povo.
Saímos de uma época de crise ética, para entrar numa época de crise na ética - onde as pessoas não acreditam mais na própria racionalidade como maneira de resolver os problemas atuais...
A coisa tá feia!!!

drika disse...

OLÁ, PROFESSOR! REALMENTE CONCORDO COM O QUE MENCIONARA, MAS ISSO SE DEVE TAMBÉM AO COMODISMO DA SOCIEDADE EM QUE VIVEMOS, INFELIZMENTE VIVEMOS NUM PAÍS DE "FAZ DE CONTA", SABE AQUELE FAZ DE CONTA QUE NADA ACONTECEU, VIRAMOS A PÁGINA E PROSSEGUIMOS PARA O PRÓXIMO CAPÍTULO? PARA QUE NOS PREOCUPARMOS?AFINAL MORAMOS "NUM PAÍS TROPICAL, ABENÇOADO POR DEUS E BONITO POR NATUREZA, EM FEVEREIRO TEM CARNAVAL MESMO"!!!INFELIZMENTE ESSE É O PENSAMENTO PREDOMINANTE DO BRASILEIRO! =(

Professor Luis Fernando. disse...

Pois é meus amigos, precisamos hoje plantar algo diferente, defendermos uma postura mais responsável e transformar o Brasil "num país tropical, muito abençoado por Deus, maravilhoso por natureza, responsável, ético, comprometido, justo, maduro, e que até tenha carnaval, porque ninguém é de ferro!(rsrsrsrsrsr).

Anônimo disse...

Ola Bom Dia Professor!

Gostei dessa colocação de um Brasil do faz de Conta, de quem sempre resolve as coisas com aquele jeitinho Brasileiro, acho que precisamos nos socorrer de todos os meios de comunicações, internet, jornais, entrevistas, tudo que for possivel para tornamos e incentivarmos as pessoas ser mais criticas, apreender a raciocinar mais, porque vivemos de forma que nos esqueçemos muito rápido do passado, e na hora correta da democracia, ou seja, na escolha de nossos governantes, não conseguimos lembra de coisas ocorridas no passado, um grande abraço, Italo Rogerio.

Professor Luis Fernando Nogueira disse...

Verdade Italo, nos falta um pouco mais do que eu chamo de "consciência democrática". Acredito que ainda não entendemos (enquanto povo) o exato significado e o peso desta expressão. Obrigado pela tua participação. Agradeço também a participação dos demais colegas.